segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Sobre o amor

Quando eu tinha uns 4 anos ganhei um chinelo do Gato Félix do meu avô e me apaixonei. Isso mesmo, eu me apaixonei por um chinelo, mas puta que pariu, QUE CHINELO FODA! Quando você é criança não interessa muito o objeto em si, você só sente e pronto. No mesmo dia, voltando pra casa, adormeci no carro e ao ser carregado pelo meu pai até em casa perdi o chinelo. Fiquei completamente desesperado no dia seguinte e procurei em todos os cantos possíveis, mas nunca mais encontrei aquele chinelo. Assim é o amor.

2 comentários:

Ba! disse...

é o amor é bem assim mesmo

Kelly Rangel disse...

essas coisas acontecem, mas de fato, nunca se esquece, daí a gente aparece pra dar um oi, dizer que é bom aquilo entre nós, mesmo na ausência, parece não levado a sério, mas tem um valor danado de grande pra mim.

saudade imensa.